sábado, dezembro 26, 2009 à(s) 12:48
Ora...mais um ano que está em vias de se extinguir para dar lugar a mais 365 dias de...alegria, I hope!
=)
Balanço:
90% positivo no que toca à minha pessoa;
100% positivo relativamente a investimentos;
Saúde...foi positiva (ainda cá estou), hehehe
Quanto ao resto, basta-me agradecer aos amigos que me têm acompanhado e que estão sempre comigo.
Só desejo que 2010 me faça colar um sorriso na cara...daqueles que nunca mais saem!
Aviso já que não comprarei anti-rugas nenhum.

Feliz 2010*

Não te lembres de mim

sábado, dezembro 12, 2009 à(s) 22:01
Esquece-me!
Apaga-me da tua memória, do teu eu, deixa-me perdida no tempo, no Mundo, despreza-me.
Não me obrigues a fingir que está tudo bem, que me apetece sorrir, que o tempo passa alegremente e que as coisas fazem sentido. Sente-me longe de ti. Vê-me desaparecer dos teus rasgos de lucidez e segue a tua vida; sem mim.
Desabraça-me.
Larga-me dos teus abraços geotérmicos que me seguram para que não me estilhace. Deixa-me morrer de frio e solidão. Olha-me pela última vez e escapa-me sem lastimar. Hei-de encontrar-te bem longe daqui...um dia.

Para quê?

à(s) 18:31
Para quê celebrar uma época que não faz sentido; que ninguém sente e que está fora de moda?
O Natal não é alegria, união, partilha e harmonia. É o tédio, o egoísmo puro e a competição familiar...as pessoas encontram-se e trocam presentes, desejando no seu íntimo, que o outro não o incomode. Que não seja melhor que ele...que não tenha uma vida melhor ou que, nunca mais lhe apareça à frente...por ser chato!
Este ano, não faz qualquer sentido sentar-me à mesa com ninguém...será um dia como os outros. Não me apetece aturar a desfaçatez de ninguém. Mesmo.

Chegou...

domingo, novembro 29, 2009 à(s) 00:01
É azul...
É inteligente...
E é liiiiiiindo!

surpresa...

sábado, novembro 14, 2009 à(s) 21:10
Há momentos da vida em que somos surpreendidos pelas pessoas de quem mais gostamos, a perguntarem-nos:

"Como é que vai ser o Natal este ano?"
...

Vou-me presentear com ele um dia destes!

sábado, outubro 31, 2009 à(s) 16:40

Porque já fui aluna num curso de comunicação...

à(s) 16:29

Halloween

à(s) 13:51
Hoje é "Dia das Bruxas"...cada vez mais se vêem crianças fantasiadas nesta data; há 20 anos atrás pouco se falava desta tradição dos "States"...quase ninguém se vestia e tocava as campaínhas da rua alegando "trick or treat" para arrebanhar umas doçarias aos vizinhos.
Às vezes apetecia-me ser catraia...outras vezes nem por isso; fico com receio do que mais irá americanizar a nossa cultura.
Vou-me sentar e trabalhar um pouco...aguardando que me batam à porta e me façam uma travessura!

Ele sente!

sábado, outubro 10, 2009 à(s) 16:10
Nos dias em que nada nos parece estar bem...
O mundo gira no sentido inverso...
Estamos lá fisicamente mas na realidade voámos para outro lugar...
Eis que aquele miúdo que sempre me pareceu viver na lua, num mundo só dele, me dá a mão!
E não a larga...

Aborrece-me...

à(s) 16:06
...viver num país onde me convidam a prestar declarações no tribunal, só porque o Banco se enganou a depositar um cheque do IVA.
Lá porque o Estado recebeu o meu imposto 2 dias após o previsto, devido a um erro interno que o Banco assumiu, o certo é que o dinheiro está lá!!! Nos cofres do Estado!
Se os nossos governantes tivessem a preocupação de dedicar as despesas do tribunal para casos realmente importantes, como o Casa Pia, Os Políticos que enchem os bolsos e continuam aí livres como passarinhos, os ladrões e restantes criminosos que habitam em Portugal...talvez "a coisa" andasse para a frente e não tivéssemos os tribunais atulhados de processos sem nexo!
Mais uma vez, amanhã eu vou votar...para o país continuar nesta sombra de bananeiras sem fruto!
É o ar que se respira aqui!

Só queria dizer que...

domingo, setembro 27, 2009 à(s) 09:31
...apesar de me estar a mentalizar que vou cumprir dentro de momentos o meu dever cívico, sinto que vou contrariada!
Sempre gostei de votar, é giro quando a malta está a ler o nosso número de eleitor como se não nos conhecessem de lado algum e depois, gritam o nosso nome para que as lâmpadas, portas e janelas saibam quem nós somos.
Às vezes, penso até, que têm uma espécie de gravação oculta para recurso nas situações de emergência, e fazem esta "cerimónia" para que caso sejam assassinados, um dia mais tarde, se descubra o assassino!
Podiam era oferecer-nos uma panóplia de esferográficas decentes para assinalarmos em quem tencionamos votar, mas isso é outra história.
O que me entristece neste dia 27 de Setembro, é que vou olhar para uma folha e escolher um partido (sim, porque eu cá não gosto de votar em branco...apesar de me apetecer). Desta vez não me parece que o carrossel político nos ofereça muitas alternativas decentes, entenda-se, em quem arriscar quatro anos da nossa vida.
Gostaria de salientar que me faz falta uma campanha política daquelas verdadeiramente acesas, em que o país revela grandes talentos políticos à sociedade e nos deixa verdadeiramente espantados e indecisos com tanta promessa boa em quem votar...Não temos pessoas com pulso firme para se sobreporem aos enlaces da corrupção e darem a cara pelo país? Bolas...a ver se a minha geração me surpreende num futuro próximo!

Vou para o carro e pensar seriamente nisto!

Um dia destes candidato-me...nem que seja para ir esmiuçar alguma coisa! É moda! Ok...vou pensar num programa eleitoral a sério!

16Nov de 2005 eu escrevi...

sábado, setembro 26, 2009 à(s) 19:48

Prostituis-te?

Prostituir - do Lat. prostituere; v. tr., desmoralizar; levar à prostituição; aviltar; corromper; v. refl., entregar-se à prostituição; degradar-se.

A prostituição é uma profissão conhecida por toda a sociedade: mal vista por alguns, mas que na realidade, TODOS a desempenham.
Nota: os parágrafos que se seguem contêm linguagem que pode ser considerada chocante e qualquer semelhança com a realidade, não é pura coincidência!

Cada vez menos existem mulheres de um homem só e vice-versa, homens de uma só mulher. É ou não é verdade?
Pois, pois...e se realmente só se deixam levar pela "tal" pessoa, nos sonhos imaginam-se a foder com outra...Depois andam a insultar a malta com filho(a) da puta, como se isso fosse asneira. Aliás, quem é que convencionou tal coisa como asneira, hein?
Todos somos filhos dela, da puta Mãe-Natureza que nos deu a puta da vida (para uns), e vida de puta (para outros). Depois, abordam-se as mulheres como rameiras, putas vadias, e vacas que pinam a torto e a direito, mas há muitos homens que se deixam levar pela libertinagem e se prostituem por aí fora.
No putedo em que o mundo se encontra, não consigo realmente entender o que se torna mais grave: se as meninas meretrizes que estão na berma da estrada e os gajos do bordel da Rua Escura; ou então as santas e santos que convivem connosco diariamente no nosso trabalho, grupo de amigos e/ou conhecidos, e quiçá...na nossa família!
O que coloco em causa é a nossa prostituição, porque como se observa pelo significado do termo referido anteriormente, a prostituição refere-se à desmoralização, corrupção, degradação, desonra, humilhação e ao acto de se rebaixar. Toda esta sinonímia para que ninguém se faça despercebido e termine com a conotação errónea de prostituição apenas ao acto de foder com estranhos (ou nem por isso) e lucrar preferencialmente alguns tostões com isso.
O que a malta quer verdadeiramente é subir na vida o máximo, sem o menor esforço e com facilidade...daí que se prostituam frequentemente as ideias, projectos, desejos, corpos, objectos e outras coisas. O importante é foder sem olhar a quem - e reparem que esta expressão assenta muito bem na actualidade, visto que já não se olha a meios para se atingir os fins!
De repente ocorre-me uma série de questões pertinentes que podem ser comentadas...:
Afinal, quem é que é filho(a) da senhora mais famosa do mundo, hã?
Quem fode mais?
Serão realmente as pessoas referentes à terminologia "Prostituta(o)" mais putas que as outras?
Que fidelidade vem a ser esta, se nem aos nossos princípios somos leais?

Mudei-me

à(s) 19:14
Mudei-me...

Peguei em mim e atrelei as minhas coisas à minha pessoa para finalmente ir respirar os ares da outra grande cidade.
É mais fácil acomodar-me...nunca estou sozinha ali e saiu-me a sorte grande, para não variar, dado que fui premiada com um grupo de catraios maravilhosos com quem dá um gozo enorme trabalhar!
Logo...mudei-me!
Recomeço as vida noutro lugar, esquecendo as coisas que não interessam para se ser feliz e vou sendo premiada com alegria diariamente. O que finalmente, por estranho que pareça, me alivia aquela cena semi-hipocondríaca que acham que eu tenho e até é moda: Stress!
Fazia-me falta um ano assim...só meu!
Espero ter possibilidade de ter mais tempo para escrevinhar os meus apontamentos! Andei ausente...sorry*

Porque sabe bem...dar e receber!

domingo, agosto 30, 2009 à(s) 01:32

É de mim ou....?!

sábado, agosto 15, 2009 à(s) 22:59
É de mim ou a sociedade portuguesa está cada vez mais decadente, a todos os níveis!?

Tenho constatado ao longo dos últimos anos que o Zé Povinho está cada vez mais pimba..."azeiteiro", vá lá!
Que a sociedade está decrépita, não é novidade. Mas, apesar dos programas das Novas Oportunidades (que não servem de nada mas atiram areia para os olhos), não sinto melhorias no panorama social. As pessoas não sabem falar, nem tampouco conhecem o léxico do seu idioma, ou constroem frases com os verbos correctamente conjugados.
Não percebem o que é a inflacção, educar filhos é uma função para os professores, desinteressam-se pela cotação do €uro, adoram mexericar sobre figuras públicas e são grandes fãs de lojas de chineses, claro está devido à crise.
Não tenho nada contra...somente acho inconcebível que um português não o saiba ser; que não consiga distinguir a direita da esquerda e opte pelo "p'ra cima ou p'ra baixo" quando perguntamos uma indicação para determinado local; que desconheça a geografia do seu país; que ignore que o Português é a sexta língua mais falada no Mundo, entre inúmeras outras características.
O português, gosta acima de tudo do futebol, das "mines", de passar a tarde na praia a ver as gajas enquanto lê os títulos de um qualquer jornal desportivo...já a portuguesa, gosta de comentar actualidades da sua vizinhança com a mesma, alternadamente; de ir às compras, misturar roupas com jóias e acessórios espampanantes, mastigar pastilha elástica de boca aberta enquanto discute a cor das unhas da Felizbela com a dona Alzira e lê a Maria em simultâneo...
Os jovens, esses...são uns despreocupados. Apreciam sobretudo o "engate", "as curtes" e umas ebriedades dia sim, dia sim!
Naturalmente que me refiro a uma percentagem desta nação, a qual vive, maioritariamente do rendimento mínimo e outros subsídios sociais, e diz-nos cara-a-cara que mais vale ganhar sem trabalhar pois cansam-se menos.
Ora...e ando eu a trabalhar, a pagar impostos, a contar as minhas economias e a sustentar pessoas com capacidades e saúde suficiente para labutar que opta por feriar durante meses e meses.
Sei que há muitos desempregados devido à crise mundial e tal, e coiso...mas não é a esses que me refiro. Mas sim aos "Estou-desempregado-porque-quero-posso-e-gosto!"
É a vida! Prefiro trabalhar...no mínimo vou enriquecendo o juízo!

Niilismo

sexta-feira, agosto 14, 2009 à(s) 16:11
Já dei por mim a pensar sobre a minha importância neste planeta.
O que faço eu aqui? O que me agrada? O que me completa? O que me passa ao lado? O que me falta? Entre outras questões que ficam suspensas no ar...

O certo é que sinto que não somos nada...andamos aqui a figurar, inventamos coisas, continuamos projectos iniciados por falecidos e homenageados, recebemos prémios, gastamos dinheiro em futilidades, vamos de férias para locais diferentes que ao fim de um tempo nos cansam e se transformam em monotonia, convivemos socialmente porque faz bem (e fica bem)...mas no fundo, sabemos que há-de chegar um dia em que, tal como o fogo se apaga, também nós iremos desaparecer.

Sempre gostei de estar sozinha, aliás, isto de ser independente faz-me conhecer um outro lado da solidão que me agrada bastante. Ser livre de pensar, organizar o espaço de acordo com os meus interesses e gostos, estabelecer os meus horários, rotinas, saídas e compromissos. Gosto de ler deitada no sofá, sentar no chão a teclar, acender velas e incensos, dormir com a janela aberta, cozinhar com música de fundo...mas o que é EU interesso?
Não tenciono inventar nada, descobrir curas de doenças, ganhar o euromilhões, interpretar promessas políticas ou promover a cultura nacional no Japão...
Apenas pretendo receber o sol todas as manhãs para continuar a não ser nada e a ser tudo o que há de discreto neste mundo. Nada!
Uma perfeita anónima, que sossegada no seu canto, é feliz à sua maneira com a passividade dos dias, onde nada acontece.

Hoje apetece-me disto...

à(s) 13:57


=) Há dias assim!

Em 30/11/05 eu escrevia assim...

quarta-feira, agosto 12, 2009 à(s) 14:14

Desvia-me

Porque é que não surges de repente na minha rotina e não me desvias para a tua?
Não que eu tenha rotina...até nem tenho. Mas, percebes que pretendo transmitir a ideia de vida monótona...sem novidade, enfim! Sem TI!
É por isso que te convido a surpreenderes-me um dia destes e, quiçá...levares-me daqui para acolá.
Muda-me, inova-me, provoca-me, olha-me, ensina-me, pensa-me, mostra-me, segreda-me, canta-me, sussurra-me, beija-me, conhece-me, conta-me, fala-me, tenta-me, toca-me, abraça-me, enlouquece-me, pinta-me, percorre-me, sonha-me, deseja-me, e verbaliza comigo todos os instantes da tua vida, os segundos que respiras, os pensamentos que te incitam à distracção, e desconcentra-te dos outros para te concentrares em mim.
Preciso de ti: agora, mais logo, hoje, amanhã, esta semana, este mês, este ano, no próximo...Toda a vida! Aguardo apenas aquele sinal que surge somente quando estou a mil e me faz gelar instantaneamente e travar a toda a força, lembrando-me um perfeito acidente que espero sofrer. Desejo bater nesse sinal, nesse desvio, preciso desse choque! Mas sem airbag...
O que me interessa é que embatas em mim, me deixes lesionada e sejas uma cura vitalícia para essa doença crónica que me vais fazer ter.
Despacha-te...deixa o que estás a fazer e desvia-me!

Hoje apetecia-me isto mesmo!

A importância de fazer um "off" ao telelé!

terça-feira, agosto 11, 2009 à(s) 15:23
video

Programação

segunda-feira, agosto 10, 2009 à(s) 15:59
Ora, dado que actualmente estou de férias, morena que nem uma alfarroba, dou por mim mais propensa a assistir à programação de televisão com maior frequência do que quando estou em período de labuta.

Todavia, tenho-me apercebido da decadente programação que os 4 canais genéricos nos oferecem, com excepção às noites da RTP2.

Será que não existem mais criativos a trabalhar nas estações de TV?

Os dias são passados com programas rurais, que circulam pelos caminhos do nosso mui belo país, intercalados com os noticiários e publicidade.


Resumindo, não se aprende nada com a programação, daí que prefira estar a ler numa esplanada, a passaritar pela praia ou a deambular por algum jardim. Acaba por ser mais interessante. Ou então, ponho-me a engomar a roupinha que também é um bom serviço! hehe

Já dizia o ditado...

domingo, agosto 09, 2009 à(s) 02:58

Vivendo

e
Aprendendo!!!

Uhmmm...cheira a férias!

quinta-feira, julho 30, 2009 à(s) 23:53
Well...amanhã lá vai a minha pessoa, estrada abaixo, com um grupo de fanáticos pela praia, a caminho de umas merecidas férias!
Depósito cheio, mala repleta de coisas desnecessárias e a cabeça atulhada de cansaço para abandonar algures...Haja diversão com a minha irmandade de amigos cómicos. Vai ser mais uma comédia...Au revoir!

Gravidez na Adolescência

domingo, julho 12, 2009 à(s) 21:38
Hoje, dei por mim a ver uma reportagem acerca deste tema...impressionante saber que a educação em Portugal está definitivamente mais decadente.
Curiosamente, vi caras que me são familiares pelos locais onde já trabalhei. Vi também uma "mãe" adolescente dizer que não se sente mãe...
Ora...mais escandaloso ainda, foi ouvir uma mãe dizer que nunca ouviu falar dos métodos anticoncepcionais.
Mães jovens, que brincaram na idade da descoberta e agora perderam a vontade para jogar às escondidas...Mães adolescentes que aos 12,13,14 anos decidiram ter um filho por considerarem a altura ideal...Mães crianças que se imaginam num futuro pacato, em casa, no parque, na praia...na companhia dos filhos, (ou até na discoteca - como afirmou uma delas).
Estas mães estão, na sua maioria sem o acompanhamento do pai da criança, com situações de risco para serem resolvidas pelos tribunais nacionais.
Os nossos impostos são também para ajudar as instituições que recebem estas mães que ficam sem o apoio das famílias. Famílias essas que não souberam um dia conversar, orientar, ajudar estas adolescentes "saídas da casca". Famílias, que - querendo ou não- não cumpriram com as funções de educadores que lhes estão inerentes. Famílias que têm passados conturbados, também elas tripartidas e com um passado confuso.
Fala-se na Educação Sexual nas Escolas...os professores até se preocupam em transmitir valores, conhecimentos, informações que posteriormente são ignoradas pelos alunos e especialmente pelas famílias destes, que os deixam andar perdidos por aí.
Os pais actualmente demitem-se das funções de pais porque é difícil ser-se pai. É mais fácil deixar as crianças fazerem tudo o que lhes apetece, saírem de casa aos 11 anos até às 3 da matina, porque assim não chateiam ninguém. Além disso, dar educação e explicar aos filhos o que é certo e errado, dá trabalho e por vezes é aborrecido. Os professores que os aturem e que os ensinem, pensa-se por aí...
E é por isso que a função docente luta contra a maré.
E é por isso que a gravidez na adolescência vai aumentando.
E é por isso que os pais CARECEM de aulas de paternidade e educação para os filhos, para que este país evolua da melhor forma e deixe de ser o 1º em rankings de maternidade inferior aos 16anos.

Naturalmente que este assunto dá para "esticar", mas hoje fico por aqui.

Tantos e tão poucos...

à(s) 15:32

Ouve-se Rodrigo Leão...

sábado, julho 04, 2009 à(s) 15:16

Vida tão estranha

São de veludo as palavras
Daquele que finge que ama
Ao desengano levo a vida
A sorte a mim já não me chama

Vida tão só
Vida tão estranha
Meu coração tão mal tratado
Já nem chorar me traz consolo
Resta-me só o triste fado

A gente vive na mentira
Já nem dá conta do que sente
Antes sozinha toda a vida
Que ter um coração que mente

Rodrigo Leão

Hoje acordei assim...

à(s) 13:13

Tocarem à campaínha às 8h da manhã, insistentemente, e por engano...é dose!
uhmmm......

Espaço

domingo, maio 24, 2009 à(s) 18:20


Espaço é aquilo que existe entre nós, a distância que nos separa, o tempo que não permite que estejamos juntos. O local para onde iremos quando nos encontrarmos!

Adivinha:

sexta-feira, maio 15, 2009 à(s) 21:27




Se tu soubesses o que me apetecia agora...
(adivinha!)

Faz de conta

domingo, maio 10, 2009 à(s) 20:57
Faz de conta que me vigias o sono e velas o meu silêncio respiratório e sincopado...
Imagina que me aconchegas os sonhos e adormeces a escuridão da noite em que durmo....
Finge que rebolas nos meus lençóis e me enches de cócegas e gargalhadas...
Idealiza que me despertas com sussurros de mistério, indecentes e loucos...
Fantasia que eu te ouço, leio, sinto, toco e enlouqueço.

Agora...revive!

Frase do dia:

quinta-feira, abril 09, 2009 à(s) 18:03

Pensar enlouquece...pensa nisso!

Casualidades

domingo, março 15, 2009 à(s) 20:39
Há dias em que me sinto "a IMNESIC'zinha"...
Vivo alegre, divirto-me, quero borga, loucura, trabalho, barulho, noitadas,... desvios de conduta...fico cheia de vontade de ser "diabinha"...
Em contrapartida, há ocasiões em que me sinto simplesmente IMNESIC:
Tenho aquela postura séria, assertiva, correcta, cordial, sem dar azo a duplas interpretações da minha personalidade por estar no trilho mais correcto possível.
Existem dias em que me sinto a "IMNESIC'zita"...tristonha, aborrecida, cabisbaixa, irascível, pensativa e estupidamente deprimida sem motivo aparente.

Ora...há dias para tudo...! Nomeadamente aqueles como este, em que não revelo como me sinto.

Respira-me

sexta-feira, fevereiro 20, 2009 à(s) 15:22
Sente-me!

Toca-me, abraça-me, sente-me...
Cheira-me, respira-me, beija-me.

Olha-me!


Penetra-me, imagina-me, responde-me...
Agarra-me, prende-me, sussurra-me.

Protege-me:


Adivinha-me, segura-me, observa-me...
Afaga-me, arrepia-me, mordisca-me.

Recorda-me:


Pensa-me, sonha-me, deseja-me...
Atrai-me, convida-me, amarra-me...
a ti!
quinta-feira, fevereiro 05, 2009 à(s) 19:11
Há pouco alguém cantava assim...

"está tão na moda ser doido, que mais parece ser arte..."

Concordo!
hi hi hi

I'mNesic | Powered by Blogger | Entries (RSS) | Comments (RSS) | Designed by MB Web Design | XML Coded By Cahayabiru.com